quarta-feira, 21 de abril de 2010

O mundo visto através dos olhos de Gustavo e Otávio Pandolfo


A foto mostrada faz parte da exposição de Gustavo e Otávio Pandolfo, conhecidos como Os Gêmeos. Essa mostra que chegou a Brasília, está em exposição no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) até 16 de maio. A mostra foi premiada como a melhor de 2009 pela Associação de Críticos de Arte de São Paulo.
Os irmãos desde a adolescência sofreram influências de grafiteiros e começaram a grafitar pelas ruas na mesma época. Eles passam pelo grafite antes de se instalar nas galerias de arte e museus de todo o mundo. Há trabalhos da dupla nos acervos da Tate Modern, em Londres, do Het Domein, na Holanda, do Museu Nacional de Tóquio e do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP).

Em cada cidade que levam sua arte, as obras se diferem. No CCBB, as obras giram em torno do lúdico e do real intercalados. Do lado de fora já se consegue perceber o que será visto lá dentro. A exposição está dentro de uma caixa que na verdade, é uma cabeça.
Cabeças amarelas com largos sorrisos, quando se entra nelas, há uma possibilidade de entender o que os irmãos Pandolfo quiseram passar.
É possível sentir e compreender um pouco do que Os Gêmeos quiseram passar ao público com suas obras. A maioria das obras tem interação com o público, as pessoas podem tocar, sentir e até ouvir as sensações que são transmitidas através das mãos, cabeças, olhos e objetos expostos.
Reparando o painel que está ao fundo da exposição, sobre um fundo cinético, os personagens se espalham em gestos e situações ora irônicas, ora lúdicas.

Gustavo e Otávio também não conseguem explicar o que queriam transmitir ao executar uma obra. Que sua crítica seja feita para aqueles para quem eles fazem essas obras, o público. Para eles é a melhor forma de divulgação, e é vendo as pessoas se entretendo e imaginando o que viria além do que está ali, que faz com que tenham mais criatividade e imaginação para criar mais obras que encantam.

Por: Dharana Bastos

Um comentário:

  1. Os Gêmeos fazem mesmo um trabalho muito bacana, bem profundo. Vai ao íntimo da imaginação humana. Saímos do tocável para o surreal. Parabéns pelo blog, meninas, sucesso!

    ResponderExcluir