quinta-feira, 28 de julho de 2011

Mais do que uma simples gelatina de morango

Costumo comparar relacionamentos, de todos os tipos, à gelatina. Sim amigo, gelatina. Calma, vou explicar. Para começar, você sabe como se faz gelatina? Não? Então vamos lá: Você compra um pacotinho de qualquer marca no mercado, coloca mls X de água gelada e mls X de água quente, leva para a geladeira e 1h depois, voilá, você tem a gelatina. É, mas esse texto não é para ensinar culinária, então vamos ao que interessa.

Sabe por que se coloca água quente e água gelada? Para ter o choque térmico e as moléculas (?) se transformarem naquele negócio gelatinoso, que nossas mamãezinhas tanto gostavam de nos dar quando crianças. E é exatamente assim que vejo os relacionamentos, seja amoroso, familiar, de amizade, ou qualquer outro. Abrindo um parêntese, quando você freqüenta Igrejas, escolas, etc, você costuma ouvir aquela célebre frase: “Ou é quente, ou é frio. O morno é vomitado”? Se você ainda não ouviu, ouvirá um dia. Continuando, em certos departamentos de nossa vida, sim, precisamos ser quentes ou frios. Mas acho que em relacionamento, e eu falo aqui com pessoas, deixe seus animais de lado um minuto, precisamos de uma certa dosagem de atitudes frias e outras vezes, de atitudes quentes.

Darei o exemplo do relacionamento amoroso: No começo, tudo é lindo, fantástico, somos cheios de atitudes quentes (sem mentes maliciosas) para atrair nosso parceiro(a). Passam-se alguns anos e a coisa vai esfriando, vocês não se vêem mais com a mesma assiduidade de antes, discutem por qualquer besteira. É hora de adicionar água quente, certo? Os relacionamentos são conduzidos por pessoas capazes de se entregarem a ponto de perceberem o que falta no outro. Perceber o que deve ser tirado também, aquela atitude que seu companheiro reprova e você insiste em fazer. Aqui, a água fria entra como amenizadora de conflitos.

E é exatamente por isso que faço analogia à gelatina. Tentem colocar mais água quente do que água fria na preparação, ela não terá a mesma consistência. É preciso haver um equilíbrio nos relacionamentos, saber a hora de se jogar, ou de se retrair. De doar, ou esperar receber. Por isso tantos casamentos, tantas amizades duram tantos anos. Porque cada membro daquela situação soube preparar sua gelatina da forma correta.

A mesma gelatina serve para exemplificar quando queremos algo. Seja um emprego, uma vaga naquela faculdade pública, o(a) garoto(a) mais lindo(a). É claro que para conquistarmos tais coisas, jogaremos infinitos baldes de água quente. E quando conseguimos, pimba, é hora de jogar a água fria, para equilibrar a equação.

Mas vocês hão de concordar comigo que gelatina é um docinho muito do sem graça, certo? O que sua mãe costumava fazer para que aquilo ficasse um pouco mais apetitoso? Se você pensou em leite condensado, creme de leite, várias gelatinas juntas, para ficar aquele negócio colorido lindo, você acertou e está seguindo corretamente meus pensamentos. E aí está a chave dos relacionamentos. Por que não dar um up naquele relacionamento sem graça que você tem?

A vida é feita de sabermos nos moldar às modernidades que somos bombardeados todos os dias. Se sua rotina é corrida, lembre-se de mandar uma SMS carinhosa na hora do cafézinho, e já que estamos em tempos de twitter, uma DM dizendo o quanto você está com saudades. E aqui vale para qualquer tipo de relacionamento. Talvez aquele seu amigo, que está triste em casa, só precisa saber que você ainda se lembra dele. Aquele seu paquera deve estar sentado esperando você jogar a água quente - Que tal um cinema?. Nem sempre a reciprocidade acontece. Então faça sua parte. Jogue a água quente. Se está pegando fogo, alguém terá que pular na água fria.

Mas beleza, não tem paciência de fazer essa gelatina? Vá adiante. Se você só colocou água quente, tomara que a vida mande alguém rápido para jogar a água fria. Antes que se derreta tudo e não dê mais jeito. E não se perturbe com isso, você não é trouxa, muito menos frouxo(a). Só não está a fim de esperar a geladeira fazer seu papel. Afinal, aquela gelatina nem era do seu sabor preferido mesmo, né?

5 comentários:

  1. Achei muito legal a analogia, serve pra tudo na vida. Na verdade não se trata de ser morno e sim equilibrado. Como dizia Aristóteles: "A virtu está no equilibrio"

    ResponderExcluir
  2. AÊ, você aceitou minha sugestão de título. Excelente texto. Você tem talento para fazer crônicas - não que este texto seja uma, mas está no caminho. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Muito bem, Dharana!

    É hora de um balde de água fervente! :D

    ResponderExcluir
  4. Experimente a nossa gelatina de café : )

    http://cafeconversa1.blogspot.com/2011/11/gelatina-de-cafe.html

    ResponderExcluir